sábado, 1 de novembro de 2008

SUBÚRBIO FERROVIÁRIO DE SALVADOR - BA


Fiz uma visita técnica ao subúrbio e pude perceber um pouco da sua infra-estrutura, da linha de trem Calçada-Paripe, das praias e da moradia de sua população que, no meu ponto de vista inicial, era faminta, perigosa e agressiva, pelo seu histórico de atos de vandalismo aos vagões de trem, até que eu pudesse ver de perto um pouco do subúrbio e sua realidade.

Começando pela viagem de trem, pude ver as famílias residindo próximas aos trilhos, com um pouco de intimidade, por suas casas estarem praticamente a um metro de distância dos trilhos.

Pessoas no seu dia-a-dia almoçando em suas residências, tomando banho de mar, apreciando, pelas janelas de suas casas, o trem passar e outras discutindo coisas de interesse pessoal, sabe-se lá o que...

O trem passava rápido pelos trilhos que estava desgastado pelo tempo, porém seus vagões eram verdadeiras obras de arte de grafiteiros, demonstrando alegria e beleza ao subúrbio.

Vi a alegria dos pescadores com sua pesca, as pessoas dançando nas barracas ao som de músicas baianas.

O que mais chamou atenção foram as praias belíssimas e despoluídas, onde vi pessoas praticando mergulho, windsurf e passeando de barco (lanchas), não esquecendo que um dia essas mesmas praias eram impróprias para o banho devido ao alto índice de poluição, provocando doenças de pele, escassez de peixes para a pesca. Alastravam-se doenças naquela região.

O descaso com o subúrbio era assustador, segundos os moradores do local. Depois dessa maré negra houve um melhora expressiva ao aspecto no subúrbio, onde uma ação de saneamento elevou a auto estima e a qualidade de vida de seus habitantes.

Pude constatar que o subúrbio é uma cidade dentro de outra cidade. Tem tudo nos bairros: igrejas, restaurantes, feiras, lojas, bares, escolas, postos de saúde, etc.

Saí da visita técnica com outra imagem: claro que mais positiva. Afinal, o subúrbio ferroviário precisa de seus representantes no governo para que o povo local tenha melhores transportes, lazer e atendimento às suas reivindicações.







É PROIBIDA A REPRODUÇÃO, TOTAL OU PARCIAL, DO CONTEÚDO DE TEXTO E FOTOGRAFIA, SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO DO AUTOR DA OBRA. PROTEGIDO PELA LEI 9.610/98.