quinta-feira, 19 de julho de 2012

PRAÇA TIRADENTES POR LUCIANO LUCCI RAMOS


O nascimento da cidade de Curitiba começou na Praça Tiradentes com o nome de “Largo da Matriz” por acolher uma pequena capela junto a Vila Nossa Senhora da Luz (padroeira da cidade) e Bom Jesus dos Pinhais. A antiga capela transformou-se na Catedral Metropolitana de Curitiba (com seu estilo neogótico, projetada pelo arquiteto francês Alphone de Plas). Com a visita do imperador no ano de 1880, a Capita Paranaense, houve uma mudança no nome da Praça para: “Largo Dom Pedro II”. Só em 1889 a Praça passou a se chamar oficialmente “Praça Tiradentes” por causa do regime republicano. Por ser uma praça que ocorreu muitos acontecimentos do passado, abriga algumas estátuas de vultos históricos como: Marechal Floriano Peixoto, Getúlio Vargas e Tiradentes. Conta à lenda que o cacique Tindiqüera, da tribo Tingüi, escolheu para habitar a região, o seu povo que vivia sobre as margens do Rio Atuba, atualmente situado no Bairro Alto.  A presença marcante do monólito histórico, com a Cruz de Cristo, representa poder legalmente constituído pelo rei de Portugal, em 29 de março de 1693. E para referências geodésicas, está o Marco Zero da cidade junto com a Cruz de Malta, que representa o poder do governo português, justiça e a propriedade das vilas. A praça exibe através do piso de vidro, os achado arqueológicos encontrados por arqueólogos da Universidade Federal do Paraná. A calçada e canaletas de drenagem podem ser vista através do vidro com iluminação especial pelos visitantes da Praça.
Fotos: Luciano Lucci Ramos - Praça Tiradentes - Curitiba-PR




































































Fotos: Luciano Lucci Ramos


É PROIBIDA A REPRODUÇÃO, TOTAL OU PARCIAL, DO CONTEÚDO DE TEXTO E FOTOGRAFIA, SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO DO AUTOR DA OBRA. PROTEGIDO PELA LEI 9.610/98.