segunda-feira, 9 de junho de 2014

ÉRAMOS IGUAIS NAS ROUPAS...


Os três garotos com apenas, seis, cinco e quatro anos corriam pelo parque subindo as escadarias dos monumentos históricos. Apreciando as formas e expressões de cada estátua. Pela idade da criançada, a compreensão histórica passava desapercebido… Tudo tinha um toque de magia em cada descoberta. Os três meninos trajados com as cores, azul, laranja, vermelho e branco, atraiam os olhares curiosos de quem passeava na praça. Era comum, os adultos passar a mão no cabelo da meninada, assanhavam carinhosamente, acolitado dos adjetivos tão conhecidos: “Que fofinhos... Lindinhos!”. 

O loiro mais velho possuía uma personalidade mais forte e com uma eloquência de assustar qualquer adulto. O moreno do meio, sempre afável e criativo. Por fim o loiro caçula, dominava um procedimento mais invasivo, porém, genuíno em suas brincadeiras. Os pequerruchos tinha algo em comum por falta de opção, as suas roupinhas “pseudo-trigêmeos”, que embelezavam o ego doméstico. Obstinado às próprias idéias, o primogênito resolveu execrar o pequeno guarda-roupa fazendo um “IMPEACHMENT”, com sua vigorosa teimosia... Ganhou o “round” em primeiro lugar por conta da sua tenacidade em cativar o coração do próximo. 

Saudade da infância feliz com aquele figurino infantil, cheio de cores e listas. Entretanto, independente das fotos expressarem a “efígie das pessoinhas”, éramos iguais nas roupas até onde eu decidir não ser mais um na multidão.










































Foto: Luciano Lucci Ramos


É PROIBIDA A REPRODUÇÃO, TOTAL OU PARCIAL, DO CONTEÚDO DE TEXTO E FOTOGRAFIA, SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO DO AUTOR DA OBRA. PROTEGIDO PELA LEI 9.610/98.