quarta-feira, 10 de agosto de 2016

A CAMISA XADREZ



Da sua camisa xadrez, transpira o ator.
Sem dor, no ardor do clamor com louvor.
Do profundo e infinito amor.
Como sou?
Para onde vou?
Não importa onde estou!
Da sua camisa xadrez, exala o perfume.
Com notas frutais de Mandarina e Cassis no lume.
Quentes como madeiras secas e sutilmente orientais como costume.
Da sua camisa xadrez, o palco vazio do aplauso que partiu.
Da sua camisa xadrez, o filme que não assistiu,
Porque você tão azul, eternamente dormiu.


Luciano Lucci Ramos









































Foto: Luciano Lucci Ramos


É PROIBIDA A REPRODUÇÃO, TOTAL OU PARCIAL, DO CONTEÚDO DE TEXTO E FOTOGRAFIA, SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO DO AUTOR DA OBRA. PROTEGIDO PELA LEI 9.610/98.