quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

O LÍRIO NEGRO


O lírio branco ficou negro
A liberdade transformou-se em escravidão
Os olhos enxergavam você, agora só o teu fantasma no escuro
A suave brisa modificou-se em forte ventania
A água doce que escorria em meus pés amargou
O sorriso que iluminava, apagou
O corpo que dançava paralisou
O colorido dos jardins perdeu a cor
As nuvens que desenhavam o céu, caíram numa tempestade
A lua cheia desapareceu... E o sol se pôs
O penhasco que contemplava a floresta, pôr fim, é o abismo
Os sonhos são pesadelos da realidade
E agora... Quando acordarei do tormento?
A tradução da felicidade e ter a certeza que do lamaçal nasce o lótus.


  
                                                                           Luciano Lucci Ramos




É PROIBIDA A REPRODUÇÃO, TOTAL OU PARCIAL, DO CONTEÚDO DE TEXTO E FOTOGRAFIA, SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO DO AUTOR DA OBRA. PROTEGIDO PELA LEI 9.610/98.