domingo, 12 de fevereiro de 2017

O PECADO E O VENENO


O teu pecado nos separa, envenenando os nossos sentimentos. Sucumbindo o amor, que tão puro, perde o seu valor. Como podes amar-me, se me rejeitas? Aceita-te como és... Já que não te orgulhas quem és. Nossas almas vagam entre as sombras da dor, permanecendo num proibido torpor. A tua malignidade só perverte a ti mesmo. Fraquejas perante a verdade do teu amor, causando uma aleivosia entre nós. Desperta-te do leito do pesar e entrega-me com benevolência o teu amor.
  
                                                                                                                                                              Luciano Lucci Ramos

































Foto: Luciano Lucci Ramos


É PROIBIDA A REPRODUÇÃO, TOTAL OU PARCIAL, DO CONTEÚDO DE TEXTO E FOTOGRAFIA, SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO DO AUTOR DA OBRA. PROTEGIDO PELA LEI 9.610/98.