quarta-feira, 10 de maio de 2017

O TEATRO VAZIO



Hoje o teatro amanheceu vazio...
Assim sendo, você não atua mais!
A plateia não aplaudia, não havia mais plateia.
Só minha alma permanecia... Eu era único na plateia
Rompendo o silencio, os aplausos partiam das minhas mãos.
As palmas significavam um bravo, de coragem, talento e determinação ao teu espírito
Com o meu aplaudir, a espectro presença do teu ser, agradeceu amorosamente ao meu ser.
Levando a crer, que muitos mistérios nas estrelas do palco, surpreende ao anoitecer.
De tão grave silencio, a incógnita da partida, responde no âmbito cósmico, à dor do tempo.
Da terra a minha honraria, na abóbada celeste o teu heroico sorriso.



                                                                                                             Luciano Lucci Ramos






Foto: Luciano Lucci Ramos




É PROIBIDA A REPRODUÇÃO, TOTAL OU PARCIAL, DO CONTEÚDO DE TEXTO E FOTOGRAFIA, SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO DO AUTOR DA OBRA. PROTEGIDO PELA LEI 9.610/98.