terça-feira, 20 de junho de 2017

ELEVADOR LACERDA ENTRE DUAS CIDADES - EXPOSIÇÃO DE BOLSO XX




O que diferencia Salvador-Bahia das outras cidades? Resposta: Salvador tem dois andares, Cidade alta e Cidade Baixa. Apesar de secular o moderno Elevador Lacerda divide as duas cidades ou seja leva-nos aos dois andares desde 8 de dezembro de 1873, dia de Nossa Senhora da Conceição da Praia. A construção teve início em 1869, um desafio de engenharia para a época pelo engenheiro Augusto Frederico de Lacerda. Foi considerado o primeiro e mais alto elevador urbano do mundo com 63 metros. A ideia partiu do empresário Antônio de Lacerda (1834-1885) de criar o moderno elevador. Na sua inauguração toda a renda do dia foi doada ao Asilo dos Expostos da Santa Casa da Misericórdia. Generoso também em beleza e na imponente arquitetura em estilo art décoO majestoso elevador possui duas torres, quatro cabines e 73,5 metros de altura. Nas quatro cabines tem capacidade para 128 pessoas. Faz uma aliança da Praça Tomé de Sousa, na Cidade Alta, à Praça Cayru, no bairro do Comércio. Turistas e baianos sobe e desce por volta de 22 segundos sentindo o “calafrio” característico e conhecido do Lacerda. O memorável elevador da Bahia chega a transportar 900 mil passageiros por mês e em torno de 28 mil pessoas por dia. Um cartão postal frente e verso, alto e baixo, com dois ângulos fotográficos para o deleite de visitantes e turista. Ah! Incluindo o meu smartphone que não ficou de fora com os registros fotográficos.








Foto: Luciano Lucci Ramos





















Muitas mudanças aconteceram ao longo do tempo.



Reformas e revisões: julho de 1906 para a sua eletrificação; 1930 adicionaram-se mais dois elevadores e uma nova torre; fim da década de 1950, concluindo-se em 1961, o elevador passou por uma total reforma em sua parte mecânica; início da década de 1980 houve uma revisão na estrutura de concreto; E em 1997 foi feita a revisão de todo o maquinário elétrico e eletroeletrônico.




Foto: Luciano Lucci Ramos

É PROIBIDA A REPRODUÇÃO, TOTAL OU PARCIAL, DO CONTEÚDO DE TEXTO E FOTOGRAFIA, SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO DO AUTOR DA OBRA. PROTEGIDO PELA LEI 9.610/98.