sábado, 10 de junho de 2017

ENVELHECER É DANÇAR


Não visualizo a velhice como crueldade... Acho até que a velhice tem um lado lúdico da coisa! Envelhecer sabendo que valeu ter vivido intensamente todas as nossas emoções, amores, desejos e sabores é extraordinário. Faz da nossa história uma transformação em um poderoso elixir da eterna juventude.  Ser primaveril é muito mais que ter um corpo jovem. É ter a consciência renovada em cada pensamento. E o tempo vai ajudando a rejuvenescer o nosso íntimo com todas as nossas ações do “bel prazer”, de ser jovem, dentro de um corpo marcado pala passagem do tempo. Muitos dizem: “envelhecer é uma merda;” Outros dizem ser privilégio... Eu digo; que envelhecer é dançar! Hoje sentir os primeiros sinais de que estou numa dança ao ritmo do "envelhecendo e rejuvenescendo" a cada instante. E não seria por um frívolo reflexo do espelho. Nem por uma fadiga vinculada a força da gravidade. Ah... Não! Mas perceber que os nossos ídolos não beberam da fonte da juventude e seus cabelos deixaram o vermelho cereja, castanhos amadeirados, loiros platinados e negros para lá de noturnos... Transformados no branquejar da neve. Quando for a minha vez, quero correr, pular e dançar na neve, ser cada vez mais feliz e constatar a plenitude dos cristais de gelo no nevisco, de saber que minha participação foi suntuosa. Vamos dançar... Ninguém escapa dessa música, sem que a pista de dança seja interrompida contemporaneamente ao som do lounge music, pelo “DJs” superior.




Foto: Luciano Lucci Ramos

É PROIBIDA A REPRODUÇÃO, TOTAL OU PARCIAL, DO CONTEÚDO DE TEXTO E FOTOGRAFIA, SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO DO AUTOR DA OBRA. PROTEGIDO PELA LEI 9.610/98.