quarta-feira, 21 de junho de 2017

PASSAR UMA TARDE EM ITAPUÃ - EXPOSIÇÃO DE BOLSO XXI




Passar uma tarde em Itapuã é cantar... Passar o dia inteiro em Itapuã é primoroso, viver em Itapuã é o paraíso!  Deixar o sol arder em Itapuã... “Ouvir o mar de Itapuã, falar de amor em Itapuã”. Uma alusão a composição do saudoso dramaturgo/poeta/letrista Vinicius de Morais. Homenagem ao bairro contornado por coqueiros, feitiços e encantos e principalmente por ter muitas sereias mergulhando em suas três famosas praias. Relatando à praia  de Placafor, praia de Itapuã, e praia do Farol de Itapuã. Na palavra de origem tupi-guarani Itapuã significa “Pedra que ronca ", no passado havia uma pedra inteira que roncava na maré vazante, atualmente partida sem emitir o mágico som. Alguns pescadores dizem, que o mais correto seria “Pedra da Ponta”, independente do seu significado, Itapuã é um lugar para os românticos como eu... Foi o local escolhido pela personagem "Dona Flor" (do romance de Jorge Amado, Dona Flor e Seus Dois Maridos) para entregar-se pela primeira vez ao seu amado Vadinho. Suas praias de tom verde-esmeralda tem formações rochosas, quando a maré baixa tornam-se piscinas naturais com areias limpas e brancas. Além dos belos cenários de jangadas com diversos barquinhos coloridos de pesca, abriga uma colônia de pescadores.  O bairro de Itapuã ficar distante do Centro da cidade de Salvador, cerca de 20 quilômetros. Apesar de fazer parte da área  urbana da capital da Bahia, Itapuã tem requintes de interior, sereno e de natureza exuberante. Itapuã é um ponto turístico para saborear um dos acarajés mais apreciados da cidade: o da baiana Cira. Passear em Itapuã nos traz uma nostalgia da Bahia de Dorival Caymmi com  seu mavioso canto, da presença do Vinicius de Moraes poetizando pelo bairro e das inspirações do Jorge Amado na sua literatura tão fortemente regional. Da expressiva moleza sonora do baiano ao falar, dos quitutes e o cheiro do azeite-de-dendê no ar misturado à maresia. Terra sagrada e profana que me encanta de prazer e de saudade. Passando pela terna Itapuã registro com emoção através do meu Smartphone um pouco dessa sensação calorosa do doce mar que não tem mais tamanho.
















Foto: Luciano Lucci Ramos


















ACARAJÉ









Foto: Luciano Lucci Ramos

É PROIBIDA A REPRODUÇÃO, TOTAL OU PARCIAL, DO CONTEÚDO DE TEXTO E FOTOGRAFIA, SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO DO AUTOR DA OBRA. PROTEGIDO PELA LEI 9.610/98.