domingo, 11 de junho de 2017

SAGRADO PROFANO CALOR


Verão em Salvador.
Sexta-feira trajando branco com fervor.
O sol vermelho bronzeou.
Os nossos corpos transpiraram no desejo do amor.
Nas águas do Porto da Barra o canto reverberou.
A brisa nos levou ao farol do Humaitá, iluminando o que restou.
Naveguei da Ribeira até o Rio Vermelho no barco do clamor.
Nas noites estreladas entre as palmeiras de Itapuã você retornou.
Na Lagoa do Abaeté, a magia da tropical estação findou.
Em espumas no mar de Yemanjá, brancas rosas contestou.
Sagrado profano calor, para o horizonte velejou.


                                                       Luciano Lucci Ramos