sexta-feira, 9 de junho de 2017

SANTO CASTIGO


Amor nascido no olhar.
Em teus lábios saciar.
Sagrado ou profano o que desejo é tocar.
Sem medo do castigo, eu só quero te amar!
O véu negro do desespero, faz-me delirar...
Na turquesa dos teus olhos, eu só quero mergulhar.
Um mergulho tão profundo, para não mais retornar.
Corpo santo que com toda ânsia, irei desfrutar.
Ungindo nossos corpos, em profana apetência.
Nos levando a delirar... Santo amor que hei de consolar.
Mesmo no silêncio para sempre vou te amar.

                                                   Luciano Lucci Ramos







Foto: Luciano Lucci Ramos


É PROIBIDA A REPRODUÇÃO, TOTAL OU PARCIAL, DO CONTEÚDO DE TEXTO E FOTOGRAFIA, SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO DO AUTOR DA OBRA. PROTEGIDO PELA LEI 9.610/98.